Geral

Tiroteio em escola deixa 10 mortos

Foto: WERTHER SANTANA / Estadão Conteúdo

Um tiroteio na manhã desta quarta-feira (13) na Escola Estadual Raul Brasil, no Jardim Imperador, em Suzano, na Grande São Paulo, deixou ao menos 10 mortos. Pelo menos 10 pessoas feridas foram levadas até os três hospitais mais próximos do local.

Segundo informações da Polícia Militar, apuradas pelo site Terra, dois jovens encapuzados e armados entraram na escola por volta das 9h30 e dispararam contra crianças e funcionários. Após o massacre, os atiradores cometeram suicídio.

Ainda segundo dados informados pela Polícia Militar, dez pessoas ficaram gravemente feridas e foram levadas aos três hospitais mais próximos do local: Santa Casa de Suzano e Hospital Santa Maria, em Suzano; e o Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes. Desses oito feridos, dois eram alunos e morreram no hospital.

De acordo com o Coronel Marcelo Vieira Salles, que foi ao local com o governador do estado de São Paulo, Joao Doria, os tiros teriam acontecido no pátio da escola, onde as vítimas estariam em horário de recreio. Em seguida, os atiradores teriam se locomovido até o Centro de Línguas da instituição de ensino e se suicidado em um corredor do local. Duas armas foram utilizadas no atentado: um revólver de calibre 38; e uma besta medieval com flechas.

No momento, o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) está na Escola Raul Brasil fazendo varreduras, pois há indícios de que os dois atiradores também teriam levado ao local artefatos explosivos. Além disso, a Polícia Civil permanece na instituição de ensino para investigação do atentado.

Os dois jovens atiradores são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25 anos.

Os mortos são:

  • Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica
  • Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionária da escola
  • Pablo Henrique Rodrigues, aluno
  • Cleiton Antonio Ribeiro, aluno
  • Caio Oliveira, aluno
  • Samuel Melquíades Silva de Oliveira, aluno
  • João Vitor Ramos Lemos, aluno
  • Jorge Antonio de Moraes, comerciante, ferido antes da entrada dos dois na escola; ele é tio de Guilherme, um dos atiradores Ainda não há a identificação dos feridos.

Fonte Terra e G1

 

Compartilhe: