Geral
Foto Arquivo PPnews

A semana começou com o ar extremamente seco no Centro-Oeste. Por volta das 14 horas (Brasília) da segunda-feira (13), o aeroporto internacional de Brasília registrou apenas 13% de umidade no ar e chegou aos 10% na tarde do domingo (12).

A região de Cuiabá estava ainda mais seca do que no fim de semana. O aeroporto internacional de Cuiabá registrou 14% às 15 horas (Brasília), sendo que o mínimo no domingo foi de 17%. A capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, estava com 15% a esta hora e foi a capital mais seca no domingo, com mínimo de 13% de umidade no ar. Em Goiânia, o aeroporto local registrou até 9% de umidade na tarde do domingo.

Situação crítica: umidade em 10%

Situação ainda mais crítica era observada em áreas de Mato Grosso do Sul, de Goiás e de Mato Grosso, onde a umidade relativa do ar chegava 10% de umidade na tarde da segunda-feira, 13.  Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, o nível de umidade no ar às 14 horas (Brasília) atingiu os 10% na região de Alto Taquari (MT), Costa Rica (MS), Chapadão do Sul (MS) e Aragarças (GO), São Gabriel do Oeste (MS) e Mineiros (GO).

Os níveis de umidade do ar muito baixos são associados com a massa de ar seco que voltou a se intensificar sobre o Centro-Oeste, com a recente passagem do ar frio de origem polar sobre a Região. Os níveis de umidade observados nos dias 11, 12 e 13 de agosto são os menores no Centro-Oeste este ano, até agora.

Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde, o ideal para o conforto e para saúde humana é um nível de umidade em torno dos 60%.

A secura do ar combinada com o calor intenso, situação comum nesta época no Centro-Oeste é mais prejudicial para a saúde das pessoas.

Para ler a notícia completa acesse Clima Tempo