Saúde
Foto Assessoria

Junho Verde é o mês de conscientização e combate à doença; no Brasil, média é de 7 a 10 casos para cada 100 mil habitantes

Os principais fatores de risco para o câncer de rim são tabagismo e obesidade, além do histórico familiar, que também precisa ser analisado. O alerta para a doença é destaque no mês de junho, que com a campanha Junho Verde visa a conscientização do combate ao câncer renal e, também, o fornecimento de informações à população sobre o risco da doença e tratamentos.

No Brasil, a incidência é de 7 a 10 casos para cada 100 mil habitantes. De acordo com o médico oncologista do CEONC Hospital do Câncer de Francisco Beltrão, Lucian Lucchesi, os principais sintomas da doença são dor abdominal e sangue na urina.

“Sintomas gerais como perda de peso e de apetite também podem aparecer. Quanto à forma de diagnóstico, o ultrassom pode identificar um nódulo no rim. A tomografia de abdômen é capaz de definir se o nódulo é suspeito e, a partir disso, indicar uma biópsia”, explica.

Como o câncer de rim não está entre as neoplasias mais frequentes, até o momento não há rastreamento recomendado. Mas há formas de prevenção. “A suspensão do tabagismo e a perda de peso são as melhores formas de reduzir o risco para a doença”, reforça Lucian.

A gravidade do câncer vai depender do estágio da doença e das condições do paciente. A cirurgia é indicada na maioria dos casos.

“Se estiver avançado, além da cirurgia pode ser necessário tratamento medicamentoso. A quimioterapia tem pouca eficácia para essa doença. A imunoterapia e algumas drogas orais têm sido indicadas nos estágios avançados, com ótimos resultados. O tratamento desta doença tem melhorado muito nos últimos anos”, reforça o médico oncologista Lucian Lucchesi.

Sobre o câncer de rim

O Câncer de rim é uma doença perigosa que, em fase inicial, fica contida dentro do próprio órgão. Porém, em estágio avançado, as células malignas podem se deslocar para outros órgãos. O tipo de câncer de rim mais comum é chamado de carcinoma de células claras ou renais, que pode se originar nos órgãos e se espalhar pelo corpo. Já o câncer de rim mais grave é chamado de carcinoma papilífero, e corresponde a cerca de 15% dos casos. A evolução deste tipo de câncer pode ocorrer de forma lenta e levar anos.

(Assessoria Ceonc)