Francisco Beltrão
Foto Depen

O setor de confecções dos Uniformes na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão foi temporariamente suspenso, dando lugar à produção de um dos equipamentos de proteção individual (EPI´s) mais procurados no momento, a fim de evitar a propagação do coronavírus: produção de máscaras e jalecos, tendo como objetivo suprir a demanda dos profissionais da Saúde de todas as Unidades de Saúde de Francisco Beltrão, ESF´s, Upa e Centro de Saúde da Cidade Norte.  Vale lembrar que outras empresas e setores da Sociedade também estão engajados e auxiliando na produção desses materiais que são fundamentais para quem atua na linha de frente ao combate da pandemia.

A ação está incluída nas medidas de proteção e prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (Covid-19) adotadas DEPEN-PR, atendendo as determinações do Governo do Estado e das autoridades sanitárias e só foi possível devido a uma parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão. A produção das máscaras e jalecos na Penitenciária teve início já no final do mês de março.

Marcos Andrade, diretor da Penitenciária e Coordenador DEPEN na Região Sudoeste – Sul do Paraná, adianta que pelo trabalho os apenados farão jus à remição de parte de suas penas em consonância com a Lei 7.210/84 (Lei de Execução Penal), informou que a produção ocorrerá de segunda a sábado. 

“O empenho de todos nós é fundamental nesse momento atípico que estamos vivendo. Francisco Beltrão e o nosso país vencerão esse vírus e temos muito orgulho em poder contribuir para a prevenção dos policiais penais, profissionais de saúde, reeducandos e toda a sociedade”, ressaltou Marcos.

Marcos lembra que em conjunto com a Segurança e outros setores da Unidade, não serão medidos esforços para continuar mantendo a segurança, a disciplina e a paz no nosso sistema prisional diante da epidemia do coronavírus.

Além do incentivo a produções que colaborem com o combate ao coronavírus, o Depen tomou uma série de medidas para evitar casos do novo vírus nos presídios do Estado, como a suspensão de visitas e a compra de material de proteção a detentos e funcionários do sistema prisional, alas específicas para isolar caso surja algum caso suspeito e afastamento das atividades de funcionários com sintomas do coronavírus.

Fonte Assessoria