Policial

O policial militar envolvido na morte dos irmãos Orestilhano Maria da Rosa Junior, de 21 anos, e Adrian Beppler da Rosa, de 26 anos, na última segunda-feira, foi preso na sexta-feira (27), em Salto do Lontra.  A prisão é temporária (30 dias) para que as autoridades concluam as investigações.

O delegado da Comarca, Sandro Spadoto Barros, informou que as investigações estão sob sigilo e realizadas em conjunto pela Polícia Civil, Polícia Militar e Ministério Público.

O fato

Os dois irmãos estavam em um veículo com placas de São Francisco do Sul quando foram abordados pela PM. A versão apresentada no dia dos fatos é de que os dois teriam feito movimentos aparentando estarem armados. Os dois foram baleados e socorridos, mas morreram no hospital. A PM diz que apreendeu duas armas  – um revólver calibre 38 que estaria com o passageiro do veículo e uma garrucha calibre 32 encontrada no porta luvas da picape – mas os familiares das vítimas negam que os dois estivessem armados.

Segundo o delegado, tanto as armas dos PMs como as supostas armas das vítimas foram encaminhadas para perícia. “A das vítimas, que não foram disparadas, estão no Instituto de Criminalística de Francisco Beltrão para exame de prestabilidade e eficiência, e as armas dos policiais vão para o IC de Curitiba pra exame de balística.”

O cumprimento do mandado de prisão foi efetuado na tarde de sexta-feira (27) pela Polícia Militar.

Informação da Polícia Militar:

Na manhã de sábado (28) o comando do 21º BPM emitiu nota a imprensa informando que na segunda-feira (30) estará concedendo entrevista coletiva sobre os fatos ocorridos na cidade de Salto do Lontra que culminaram na prisão do policial militar envolvido na ocorrência.

O comunicado foi divulgado pelo Capitão Mário Emilio Nicolau OCS do 21º BPM.

Da redação com Niomar Pereira do JdeB