Regional
Fotos CGN

A delegada Raísa de Vargas Scariot falou na tarde desta terça-feira (17) sobre o caso de um homem que se passou por vidente para estuprar uma mulher no final do mês de março. Ele foi preso preventivamente em Guaíra e levado a Cascavel.

Ele oferecia serviços de vidência e de contato com os mortos dizendo ser “filho da mãe Diná”, também era conhecido como “Feiticeiro”.

A maioria dos contatos que fazia era com mulheres de todas as idades. Muito eloquente, acabava por cativar muitas que estavam de fato com algum problema pessoal, de ordem financeira, conjugal ou familiar, normalmente em situações de fragilidade emocional.

A vítima em Cascavel foi uma mulher de 55 anos que tinha perdido uma filha em acidente de trânsito e isto a deixou muito abalada.

No dia 29 de março, ele se aproximou desta senhora e a convenceu de seus “poderes espirituais”, tanto que ela o aceitou recebê-lo em sua casa, onde o crime aconteceu.

Segundo o relato da vítima, que estava sozinha em casa, desde o momento que o acusado entrou na residência, passou a ingerir bebida alcoólica, e depois de algum tempo, partiu para cima da dela, quando forçadamente manteve relações sexuais, de forma violenta e com agressões físicas, causando-lhe ferimentos.

Não satisfeito, passou a fazer ameaças de morte contra a mesma, e contra familiares inclusive ameaças de morte à outra filha.

Temendo as ações, a senhora acabou cedendo. Quando um familiar chegou, ele a obrigou a dizer que se tratava de um primo que tinha vindo visitá-la, tendo ali ficado até o dia seguinte (30), quando a mulher criou coragem e contou os fatos para um familiar e a polícia foi chamada.

Ciente dos fatos, a equipe do GDE de plantão, passou a buscar o homem, mas ele havia fugido de Cascavel

A vítima submeteu-se a exame pericial no IML de Cascavel, que comprovou o estupro.

Ele possui diversas passagens pela polícia: foi acusado de extorsão em Goioerê; de ameaça, embriaguez ao volante e lesão corporal em Iporã; estupro em Marialva, onde foi condenado a 1 ano e 6 meses; colocar em circulação moeda em Campo Mourão;  receptação em Umuarama e Maringá; violação de direito autoral em Alto Piquiri, onde foi condenado a 2 anos; porte ilegal de arma de fogo em Faxinal, onde foi condenado a 2 anos; e assédio sexual em Marília. Recentemente, o homem esteve preso.

A Delegacia da Mulher pediu a prisão preventiva e o homem foi encontrado no sábado em Guaíra.  Ele foi levado a Cascavel e hoje (17) submetido a reconhecimento pessoal, sendo identificado pela vítima.

Ele negou o crime e disse que apenas consumiu bebida na casa da mulher, mas que não a tocou.

(Informações CGN)