Pato Branco

Na manhã desta segunda-feira (13), o delegado Helder Lauria, da 5ª SDP de Pato Branco, em entrevista coletiva a imprensa, relatou sobre as investigações que estão sendo feitas pela Polícia Civil para elucidar o homicídio ocorrido na madrugada de domingo (12) por volta de 01h, quando foi morto com um tiro na cabeça, Guilherme Ambrosini.
O delegado informou que ainda que as informações são superficiais, pois a mulher que estava com ele no carro está em estado de choque.

Conforme o delegado, ela informou que eles estavam andando no carro na Rua José Fraron, bairro Fraron, quando o homem fez sinal com uma lanterna pedindo para parar o carro. Acreditando se tratar de uma blitz policial, Guilherme parou o carro, quando foi rendido pelo homem que anunciou o assalto, porém logo em seguida, disse que iria estuprar a mulher. Ao tentar amarrar Guilherme, ele reagiu e o assaltante atirou na sua cabeça, levou ela para uma mata, mas desistiu do estupro, liberando ela e fugindo.

O delegado disse que a polícia já tem um suspeito, que seria o mesmo homem que cometeu um estupro, alguns dias atrás, próximo a um shopping, onde agiu da mesma forma, com lanterna, usando bala clava, mesma estatura, dominando e amarrando um homem e estuprando sua mulher.

O delegado informou ainda que o assaltante entrou pela porta de trás, e atirou na cabeça de Guilherme. Segundo o delegado o assassino é de alta periculosidade, frio e calculista.

Na manhã desta segunda-feira (13) uma equipe do COPE – Centro de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil, já chegou em Pato Branco, onde junto com as equipes locais, irão reforçar as investigações para capturar o assassino.