Segurança
Foto Polícia Civil

Em trabalho integrado entre as Polícias Civis do Paraná (19ª SDP de Francisco Beltrão) de Santa Catarina (DIC de São Lourenço do Oeste) e PMPR, resultou no indiciamento de um motorista de caminhão por falsa comunicação de crime e apropriação indébita majorada da carga de soja que fora desviada.

De acordo com a Polícia Civil, no dia 11 de março, um motorista de caminhão procurou a Polícia Militar informando que, na manhã daquele dia, teria sido abordado por assaltantes armados enquanto estava parado em um ponto de descanso na Rodovia PR-483, próximo ao Trevo da Água Branca, na cidade de Francisco Beltrão. Os bandidos teriam supostamente levado o motorista até um matagal próximo a Renascença, mantendo o refém e roubado o caminhão que estava carregado com aproximadamente 37 toneladas de soja.

A Polícia Civil de Francisco Beltrão iniciou a investigação com apoio da Polícia Civil de São Lourenço do Oeste e após inúmeras diligências de campo, foi possível descobrir que a carga de soja havia sido revendida por aproximadamente cem mil reais para uma cerealista em Jupiá (SC).

Ainda conforme a polícia, ao solicitar a documentação e maiores informações sobre a compra da carga à cerealista citada, foi possível descobrir que foi o próprio motorista quem teria dirigido até Jupiá (destino diverso do original para entrega da carga e no horário em que teria narrado à polícia que se encontrava como refém dos bandidos na cidade de Renascença) para, juntamente com um agricultor local, fazer a venda do soja.

Segundo a polícia, trata-se do segundo caso em menos de três meses em que a Polícia Civil de Francisco Beltrão conseguiu colher elementos comprovando que funcionários supostamente forjaram assaltos para se apropriarem da carga e lucrarem com sua revenda. O primeiro caso ocorreu no final de dezembro e se relacionava com uma carga de cigarros avaliada em quatrocentos mil reais.