Saúde
Foto: Divulgação AEN

AEN – De acordo com o boletim semanal da dengue, mais seis mortes pela doença foram registradas no Paraná, totalizando 38 óbitos neste período epidemiológico, que iniciou em 1º de agosto e segue até julho de 2022.

O 40º Informe Epidemiológico contabilizou 11.597 novos casos, um aumento de 17,14% em relação aos números do boletim da semana anterior. São 79.252 confirmações da doença e 127.466 casos prováveis.

Os óbitos foram confirmados em Foz do Iguaçu, Cascavel (2), Maringá, Jataizinho e Primeiro de Maio. São quatro mulheres e dois homens com idade entre 62 e 95 anos. As mortes ocorreram entre os dias 15 de abril e 19 de maio de 2022.

Dos 382 municípios que registraram notificações de dengue, 340 confirmaram a doença, sendo que em 304 deles há casos autóctones, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) promoveu na terça-feira (31), em Curitiba, a segunda reunião do Comitê Gestor Intersetorial para o Controle da Dengue, que discutiu ações de mobilização e vigilância permanente com o objetivo de reduzir os casos da doença e o número de óbitos no Paraná. As instituições que compõem o Comitê indicaram representantes para participar da reunião e serem multiplicadores no controle do mosquito Aedes aegypti.

O encontro trouxe o panorama da situação epidemiológica da dengue no Brasil e Paraná e a atualização das ações desenvolvidas pelas secretarias, órgãos do Estado e representantes do Serviço Social do Comércio (Sesc/PR).

Atualmente, o Paraná é o terceiro Estado com o maior número de casos graves da doença, com 1.265 registros. Apenas Goiás (2.972) e São Paulo (1.359) ultrapassam esse número, e por isso a relevância de conscientizar a população sobre a importância da prevenção. 

“Precisamos desse alinhamento de ações com os vários órgãos de Estado, pois o trabalho integrado realizado com a parceria das demais secretarias e instituições possibilita o desenvolvimento de ações de combate à dengue em tempo oportuno para que não ocorra um aumento ainda maior nos números, principalmente dos casos graves”, enfatizou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.     

PARCERIAS – A representante do Sesc/PR, Giovanna Castellano, anunciou a prorrogação da campanha “Aqui o mosquito não entra”, iniciada em 2021, e que encerraria nesta terça. Tendo em vista o atual cenário no Estado, será estendida até o dia 19 de junho. Um aplicativo incentiva a população a registrar imagens de focos do mosquito e, na sequência, eliminação em tempo real desses criadouros. A estratégia tem como objetivo conscientizar sobre áreas como saúde e meio ambiente.

Atualmente, 278 municípios participam da ação, mas a meta é atingir todos os 399. Para integrar a atividade basta fazer o download do aplicativo Sesc. Até o momento, 5.710 pessoas já participaram desta iniciativa.

A Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior reforçou o apoio dos grupos de pesquisa de universidades estaduais, com a disponibilização de drones para locais de difícil acesso, armadilhas, vídeos institucionais sobre a doença e prevenção, entre outras experiências para conter o avanço da dengue no Estado.

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes, que presidiu a reunião, ressaltou a necessidade de reforçar as campanhas e de uma atuação mais intensiva junto à população. “Estamos monitorando todos os municípios, principalmente as áreas com maior incidência. Chegamos no momento em que, pelas temperaturas mais baixas, a tendência é de diminuição dos casos e da transmissão da dengue. Ainda assim, é imprescindível fortalecer as ações de enfrentamento”, afirmou.