Francisco Beltrão
Crédito: Darce Almeida/Acefb

Da assessoria/Acefb – Em mais uma de suas ações estratégicas programadas para ocorrer em 2022, a Câmara Técnica de Segurança Pública pertencente ao Condef – Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Francisco Beltrão, vinculado à Associação Empresarial (Acefb), protagonizou na entidade beltronense, uma importante reunião.

Participaram Marilda Galvan Ribeiro, diretora do Departamento Beltronense de Trânsito (Debetran), Dr. Júlio Barreto Maia Junior, assessor legislativo da prefeitura de Beltrão, soldado Leonardo Stocco (Polícia Militar) e representantes dos motoboys de Beltrão.

Na pauta, debate sobre lei municipal para categoria dos motoboys, regulamentação das motos para o trabalho e maior fiscalização de pessoas que trabalhem irregularmente com motos. Marilda lembra, inclusive, que “foi significativo o aumento de mortes de motociclistas no munícipio nos últimos meses”. Ela sugere a criação de blitz educativa e punitiva para a redução desses números.

Outra questão levantada no encontro foi o de sugerir às empresas locais que contratem motoboys regularizados com a sua categoria profissional e que tenham curso especializado de motofretista, regulamentado pelo Detran-PR.

Também foram destacados assuntos como a conscientização dos motociclistas quanto à redução de velocidade em vias públicas e o uso de colete refletivo.

Dr. Júlio Barreto explica que “já existe a lei federal para a categoria, foi revisada e não é necessário criar um novo projeto de lei para regulamentar”. Ele sugere a criação de uma associação de motoboys e comenta que, “através de uma associação, é mais fácil ganharem corpo, demonstrando maior organização”.

Entre os objetivos da associação a ser criada é o de organizar a categoria dos profissionais motoboys. “Foi levantado na reunião que aconteçam parcerias entre a prefeitura e a Polícia Militar para aumentar a fiscalização de pessoas que circulam com as chamadas moto bruxas [que não possuem documentação regular para circular] e o menores de idade que conduzem motos. Agradecemos a Acefb pelo apoio que nos deu nessa causa”, comenta o motoboy Rudinei Siqueira, que procurou a entidade empresarial para sugerir a pauta desta reunião.