Geral
Reprodução/Instagram

Paulinha Abelha, cantora da banda Calcinha Preta, morreu aos 43 anos, na noite desta quarta-feira (23). A artista estava internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) desde o dia 11 de fevereiro, devido a problemas renais. A informação foi confirmada pela assessoria do Hospital Primavera, de Aracaju, em Sergipe, em nota divulgada no perfil oficial do Instagram do grupo Calcinha Preta

“O Hospital Primavera comunica, com pesar, que a cantora Paula de Menezes Nascimento Leça Viana, Paulinha Abelha, faleceu hoje às 19h26 em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico. Nas últimas 24 horas apresentou importante agravamento de lesões neurológicas, constatadas em ressonância magnética, associado a coma profundo. Foi então iniciado protocolo diagnóstico de morte encefálica, que confirmou hipótese após exames clínicos e complementares específicos”, informou o comunicado.

Paula de Menezes Nascimento Leça Viana nasceu no dia 16 de agosto de 1978 em Simão Dias, Sergipe. Com apenas 12 anos, ela começou a cantar em trios elétricos em shows pelo interior sergipano. 

Internação e piora no quadro clínico 

Após dias passando mal, a cantora deu entrada em um hospital no dia 13 de fevereiro e a partir dali teve uma rápida piora no quadro clínico. No dia 16, Paulinha foi levada para a UTI para realização de uma terapia renal mais especializada. No entanto, um dia depois, na última quinta-feira (17/2), a cantora entrou em coma.

Em entrevista coletiva na última terça-feira (22/2), os médicos levantaram a possibilidade de remédios usados pela cantora terem provocado lesões. Segundo a equipe, a vocalista do Calcinha Preta passa por uma “síndrome tóxico-metabólica”, em que o corpo da cantora sofreu com “uma cascata de inflamações ou de lesões nesses órgãos”. Os médicos ressaltam, no entanto, que essas medicações eram utilizadas em “caráter supervisionado”.

R7 e Metrópoles