Maus-tratos
Imagem PM SP

O menino de 11 anos que foi encontrado acorrentado  em um barril em uma casa da periferia de Campinas, no interior de São Paulo no sábado (30), disse ter visto a virada do ano por um buraco na parede, criado para que ele pudesse respirar.

O relato foi feito à equipe de enfermagem do Hospital Ouro Verde, onde o garoto segue internado com quadro de desidratação severa.

O garoto disse à equipe de enfermagem que o pai jogava água sanitária e água fria para dar banho nele. Aquilo me fez chorar”, completou a fonte ouvida pela reportagem no hospital.

Policiais militares prenderam o pai, a madrasta e a filha dela, de 22 anos. Eles prestaram depoimento e disseram que o menino teria um problema psiquiátrico e tinha “surtos”. Para controlá-los, a decisão foi colocá-lo em um barril para que se acalmasse.

As imagens divulgadas pela polícia mostram que o menino foi encontrado nu, com mãos e pés acorrentados, preso num tambor coberto por uma telha e um edredom, sob o sol. Até os policias se impressionaram com a situação em que era mantido o menino.

A polícia apurou que o garoto era mantido em situações similares há pelo menos sete anos, quando foi adotado pela família.

A mãe biológica, uma usuária de drogas, afirmava que o homem era o pai biológico do garoto. Um teste foi feito na época, constatando que não era verdade.

Mesmo assim, a mãe abandonou o menino com este homem, e ele foi adotado, segundo apuração, pelas vias oficiais.

O menino apresentou um quadro grave de desidratação e também de desnutrição. Está internado e passa por exames.

Fonte das informações Banda B