Francisco Beltrão
Foto Divulgação/Câmara de Vereadores de FB

A convite do vereador Anildo Krug (PSDB), os médicos Márcio Martins e Wemilda Feltrin fizeram um relato da situação da Covid-19, nos hospitais de Francisco Beltrão, na tribuna da Câmara de Vereadores nesta terça-feira (16).

Eles foram enfáticos em dizer que o município, o Sudoeste, o Paraná e o Brasil vivem o pior momento da pandemia. Entretanto, as ações continuam sendo as mesmas desde o início da contaminação que já existe há mais de um ano. Por isso, eles e mais 72 médicos da cidade, assinaram um documento, sugerindo ao Poder Público Municipal, o tratamento precoce da doença. Porém, essa medida não é unânime entre os profissionais de saúde, nem do poder público, e tão pouco pela população que desconhece a eficácia da medida.

Neste sentido, o secretário de saúde, Manoel Brezolin, que acompanhou a fala dos médicos, também se posicionou na tribuna, e demonstrou preocupação quanto o poder de resolutividade do tratamento precoce, além disso, destacou o investimento que precisaria ser feito na compra de medicamentos, que não tem o aval científico para evitar novos casos do coronavírus.

Dentro do Poder Legislativo também não há uma unanimidade, pois existem vereadores que defendem o tratamento precoce, e outros, que são contrários.

A promotoria pública disse para o prefeito e ao secretário de saúde que, a responsabilidade das ações para frear a contaminação da covid-19 é, exclusivamente, do Executivo Municipal. Há mais de 60 dias, o legislativo vem cobrando mais fiscalização das ações propostas pelo município e uma conscientização maior da população pela situação grave que se encontra o Brasil.

Assessoria Câmara de Vereadores de FB