Esportes

Marreco apostará em time experiente com sub-20 de apoio

Reforço do Marreco, Paulo Felipe de 19 estava no Monte Sião de Paranaguá

O Marreco Futsal inicia 2019 com muita expectativa em volta do seu elenco principal, com o sentimento de que os erros e problemas de 2018 não se repetirão, até para que o primeiro título de expressão finalmente seja conquistado neste ano. Mantendo a base do elenco vice-campeão paranaense, com nove atletas renovados e outros dez atletas contratados, a intenção é entrar forte na briga pelo título da Copa do Brasil, Série Ouro do Paranaense e ir ainda mais longe na Liga Nacional. Já o sub-20 que disputará a Copa Chopinzinho e o Paranaense da categoria, também servirá de apoio para a equipe principal em alguns jogos na Série Ouro.

Do time que terminou a temporada de 2018, apenas o ala Emerson não renovou, o que mostra a preocupação da diretoria em manter uma base experiente para este ano. Ficaram os goleiros Di Fanti e Quinzinho, os fixos Kauê e Fabiano Assad, os alas Alexandre Pintinho, Sol Sales e os pivôs Sinoê, Pedro Rei e Dener. Foram contratados 10 jogadores para o elenco principal, sendo que três deles são apostas do sub-20 e os outros 7 são jovens, sendo o mais velho o ala Zequinha, de 30 anos. Até o início de janeiro foram anunciados os fixos Max (Umuarama) e Douglas (Corinthians), também os alas Juninho (Intelli), Paulinho (Coronel), Felipe Monteiro (Uruguaianense), Fabinho (Coronel) e Gláuber (Faxinal), além de Zequinha (Minas). Para a posição de pivô foram contratados Rafa Stocker (Uruguaianense) e Paulo Felipe (Monte Sião). A média de idade do elenco será de 25,8 anos, mesclando experiência de atletas multi campeões  com jovens apostas que devem muito em breve ser assediados por grandes equipes do futsal brasileiro e mundial.

Fabinho (19), Gláuber (18) e Paulo Felipe (19) se destacaram nas séries Prata e Bronze e devem servir de apoio ao elenco principal, mas são os grandes destaques da equipe sub-20 que disputará o Paranaense. Os três deverão ser usados na Série Ouro em partidas que forem muito próximas de jogos importantes da Liga Nacional, para evitar o desgaste de atletas da mesma posição do elenco principal, mas dependendo da evolução e do julgamento do técnico Paulinho Gambier, também terão espaço em jogos importantes durante a temporada.

Com as contas em dia, o Marreco inicia o ano sem algumas preocupações e dúvidas que rodeavam a diretoria no início do ano passado, dúvidas que comprometeram o planejamento da temporada passada, que mesmo assim quase terminou com o título do paranaense, perdido nos pênaltis para o Foz Cataratas em pleno Arrudão. A candidatura para sediar a Supercopa que dá vaga na Libertadores, a participação inédita da Copa do Brasil são os fatores novos que mostram amadurecimento da diretoria, mas acima de tudo, o anseio de mostrar aos torcedores que a casa foi arrumada em 2018 para que o ano que se inicia seja de fato um ano de títulos para o Marreco.

 

Compartilhe: