Geral
Major Soster fica no cargo até o fim de 2021. Na foto, com Major Pitz.

Da Acefb – Tomou posse na manhã desta quarta-feira, 3 de fevereiro, na Acefb (Associação Empresarial de Francisco Beltrão, o Major Heitor Soster, comandante do 10º Grupamento de Bombeiros, como coordenador geral da Câmara Técnica de Segurança Pública (CTESP). O ato contou com a presença de representantes das Forças de Segurança Pública do município.

João Manoel Rios, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Condef) destaca que a segurança é um desafio diário. “Deixamos à disposição o Ciklo hub de inovação da Acefb para qualquer demanda que surgir, sobretudo do ponto de vista estratégico e de inteligência”.

Major Rogério Gomes Pitz, subcomandante do 21º Batalhão de Polícia Militar de Beltrão, coordenou a CTESP de 2017 a 2019 e ressaltou a importância da união entre as Forças, os ganhos enquanto esteve à frente da Câmara e a relevância da Acefb. “Para chegarmos até aqui, montamos uma base muito sólida no passado, quando a Acefb era no Centro [em frente à Loja Belmar]. Naquela época Beltrão começava a ter problemas relacionados à perturbação de sossego. E a Acefb, sempre como uma caixa de ressonância de empresários e da sociedade, recebia reclamações e demandas sobre perturbação em bares e estabelecimentos. Iniciamos reuniões e foram criadas as AIFUs, Ações Integradas de Fiscalização Urbanas. Essa Câmara Técnica de hoje teve a sua gênesis lá atrás. A partir disso, outras demandas foram surgindo, novas reuniões foram acontecendo com a participação de outros órgãos, como o Conselho Tutelar e a prefeitura. Eu diria que todas as grandes ações nesse sentido começaram dentro da Acefb”. William Madruga, vice-presidente da Acefb para Assuntos de Núcleos, enalteceu a parceria público-privada.

Reconhecimento

Pitz recordou a importância do Capitão Marcos Donati, do Corpo de Bombeiros, morto num grave acidente na PR 182, próximo de Ampere, em 2012, na efetivação da CTESP. Também morreu o sargento Delacir Ventura. “Com toda a calma e inteligência do Donati, começamos a articular as forças políticas do Sudoeste, elaborando documentos e a cobrando com apoio da Acefb. E no ano de 2017, o Dr. Valderes Scalco (delegado), com sua visão de futuro, colaborou muito para a estruturação da Câmara Técnica. Aí veio a Marilda Ribeiro [Debetran] com ideias novas e os reflexos positivos estão acontecendo no nosso trânsito. Fizemos um planejamento para 2042 e foram definidas algumas ações que serão desempenhadas por cada órgão de segurança”, explica o Major.

Pitz deixa uma sugestão para que, ao fim do mandato de cada coordenador da CTESP, que o ex-coordenador automaticamente se torne vice-coordenador. “Justamente para dar um direcionamento ao coordenador que assumir o cargo”. Ele citou como exemplo de organização a Associação Empresarial de Maringá (Acim). “Maringá possui o primeiro Conselho de Segurança registrado. Estavam acontecendo alguns problemas no setor de segurança da cidade e a associação maringaense decidiu cobrar providências da Polícia Militar, Polícia Civil, da Secretaria Estadual de Segurança. E deu certo. Por isso nós fizemos questão de trazer o Conselho de Segurança dentro da Câmara Técnica. Digo que o grande sucesso da Associação Empresarial de Maringá está intimamente ligado ao Conselho de Segurança daquele município. E nós precisamos nos unir para continuarmos mais fortes. Uma coisa é um órgão de segurança encaminhar um documento, solicitando melhoria naquele setor. Outra é ter junto uma sociedade inteira. Tem um peso maior. Se o Batalhão de Polícia Militar está forte não é porque eu, o Major Edson ou o Tenente Anderson estão aqui. A Acefb tem um papel decisivo nisso”.

Novidade

Um projeto de monitoramento eletrônico começa a ganhar corpo na região Sudoeste. Segundo Pitz, a vigilância artificial vem para fortalecer a área de cobertura do 21º Batalhão, formado por 27 municípios. “Vamos precisar do apoio de outras Câmaras de Segurança e das Associações Comerciais da região para investirem em equipamentos e sugerir locais para instalação desses equipamentos. Também precisaremos do apoio das universidades, quantos trabalhos científicos podem ser realizados junto com elas? Hoje o crime é organizado e muitas vezes as Forças de Segurança não são unidas. Nós precisamos mudar essa realidade”, analisa Pitz.

O subcomandante informa que foi convidado para integrar a CTESP o vereador Oberdan, que por muitos anos foi policial militar “e hoje pode nos apoiar com as demandas que a Câmara de Vereadores tiver. Agradeço pela oportunidade que tive frente à CTESP e que Deus abençoe e capacite o Major Heitor para fazer uma gestão plena”.

Aliança

 “É de fundamental importância que estejamos unidos nesta missão. Quero ressaltar sobre a importância do trabalho da Acefb, que reúne não apenas o setor privado do nosso município, mas todos os órgãos públicos. O objetivo principal da Câmara Técnica e que nós não podemos esquecer, é reunir os órgãos de segurança. Percebo que em muitas cidades essas forças não se conversam, fazem ações isoladas e acabam não tendo êxito. Essa troca de ideias e apresentação de projetos são fundamentais para termos mais força, junto com a Acefb. Estou sendo reconduzido ao cargo porque o ano de 2020 foi um ano diferente, praticamente não tivemos reuniões. E agora estamos cheios de fé. Vamos fazer trabalhos mais eficientes para nossa sociedade”, declara o Major Soster.

Formam a Câmara Técnica de Segurança: 21º Batalhão de Polícia Militar, 10º Grupamento de Bombeiros, Polícia Civil (19ª SDP), Conselho Municipal de Segurança (Conseg), Conselho Municipal da Comunidade, Conselho Tutelar, Departamento Beltronense de Trânsito (Debetran), Departamento Penitencário de Beltrão (Depen), Polícia Ambiental, Polícia Científica, Unioeste, Banco do Brasil, Unibel e Câmara de Vereadores.