Policial
Imagem Deivid Fragatta/TV Beltrão

Nesta quinta-feira (14) teve início às 09h no Tribunal do Júri da Comarca de Francisco Beltrão o julgamento de José Frizanco, 61 anos, que está preso acusado da morte e ocultação do cadáver de sua esposa Marli da Silva Frizanco, a Marli Costureira que está desaparecida desde o dia 29 de junho de 2016.

Acusado da morte de Marli José Frizanco está preso desde o dia 18 de novembro de 2016.

No primeiro dia do julgamento foram ouvidas 23 pessoas, entre testemunhas, policiais e familiares de Marli, todas arroladas pelo Ministério Público.

A Juíza que preside o julgamento Drª Janaína Monique Zanelatto Albino, determinou que neste primeiro dia de julgamento fossem ouvidas as testemunhas e os trabalhos foram encerrados por volta de 19h40.

As sete juradas que compõe o corpo de jurados, foram encaminhadas para um local reservado pela justiça, onde ficarão incomunicáveis e sob a proteção judicial até a manhã de sexta-feira (15) às 09h quando serão retomados os trabalhos.

No segundo dia do julgamento ocorrerão os debates entre a acusação e defesa.

Na acusação está a promotora de justiça Drª Silvia Scaeta Nunes, tendo assistentes de acusação as advogadas Carla Patrícia Vagner e Ione Iurko.

Na defesa do réu os advogados Nei Eduardo Ries e Marcia Aparecida da Costa.

Neste primeiro dia o plenário do Tribunal do Júri permaneceu completamente lotado, e entre os presentes familiares tanto de Marli que ostentavam faixa e cartazes pedindo justiça, como também familiares de José Frizanco, que também esperam ansiosos pela sentença final.