Pandemia
Foto Jornal ABC Color

Na fronteira do Paraguai com Mato Grosso do Sul, a pandemia de coronavírus tem produzido imagens fortes que jamais vão sair da lembrança de quem está testemunhando este momento do mundo.

Uma dessas cenas ocorreu na quarta-feira (17), em Puerto Casado, povoado localizado a 40 km do território sul-mato-grossense e a 140 km de Caracol (MS).

O corpo de vítima da covid-19 foi carregado na carreta de um trator e enterrado em vala comum por uma pá carregadeira. Embrulhado em saco plástico e amarrado com fita adesiva, o corpo foi jogado na vala junto com o colchão.

O homem de 70 anos estava internado no centro de saúde de Puerto Casado desde sexta-feira (12). O diretor da unidade, Emigdio Riveros, informou ao Jornal ABC Color que ele chegou ao local com sintomas da doença e foi isolado.

Como o povoado não tem laboratório, o material para exame de covid-19 foi encaminhado para a capital Asunción, que fica a 630 quilômetros de distância. O resultado positivo para o coronavírus ficou pronto domingo.

Emigdio Riveros disse que foi feito tudo o que era “humanamente possível” para a recuperação, mas não foi possível salvar o doente, que tinha outros problemas de saúde e era alcoólatra.

Sobre o fato de o corpo ser transportado na carreta do trator e jogado por uma pá carregadeira na cova do cemitério local, o médico disse que não havia outra forma, pois o homem não tinha parentes no local e ninguém quis emprestar carro para levar o cadáver.

Para evitar contágio, dois funcionários do hospital vestiram roupas de proteção cobrindo o corpo, cabeça, pés e mãos e colocaram o colchão com o corpo na carreta do trator. Emigdio Riveros disse que lamentavelmente outras cenas semelhantes serão produzidas durante esta pandemia, principalmente porque as pessoas insistem em não cumprir as medidas de isolamento.

Puerto Casado pertence ao distrito de La Victoria e fica no Departamento (equivalente a Estado) de Alto Paraguay. Assim como várias regiões do Paraguai, o departamento enfrenta crise sanitária por causa da pandemia e não tem leitos disponíveis de UTI.

Crédito Campo Grande News