Santa Catarina
Foto Divulgação

A saída para uma caçada terminou em tragédia no domingo (17) em Lebon Régis, município no Oeste catarinense. O homem de 35 anos, foi atingido na cabeça com um tiro de espingarda pelo próprio amigo com quem estava numa área de mata de difícil acesso. A vítima morreu no local.

A Polícia Civil informou que o amigo assumiu a autoria do crime dizendo que o disparo foi acidental. O nome dele não foi informado e em função de ter se apresentado à delegacia e buscado socorro, responderá em liberdade por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Ele descreveu ao delegado de plantão que atirou em direção a um animal, mas não identificou que a vítima estava, próximo em função de uma roupa camuflada que usava.

O delegado informou ainda que o atirador buscou equipes de resgate, as orientando até chegar ao local, que tem acesso a partir de uma trilha de três quilômetros.

“Ele mesmo se prontificou, estavam a 3 quilômetros dentro da mata, procurou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros”, completou.

A polícia identificou ainda que as duas armas usadas encontradas com eles estavam irregulares, além da dupla não ter autorização para caçar na região.

A caça, perseguição e o abate de animais silvestres sem autorização é crime ambiental previsto em lei com pena que pode chegar a seis meses de prisão e multa.

Pela lei, caçar é proibido no Brasil, mas o javali é a única exceção. Ele pode, mas se for para o manejo, ou seja, o abate para evitar que o javali se reproduza e destrua plantações. E desde que o animal não sofra maus tratos.

Fonte G1 SC