Economia
Foto: Jonas Oliveira / AENotícias

O governo federal anunciou nesta segunda-feira (06) medidas para reduzir o preço dos combustíveis no país. O anuncio foi feito durante um pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto.

Além do presidente, estavam presentes: o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, o ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Célio Faria Júnior e o senador Fernando Bezerra (MDB-PE

O presidente anunciou vai zerar o ICMS do diesel pagando aos governadores pelo que eles deixarão de arrecadar.

Bolsonaro iniciou o pronunciamento se referindo ao preço do diesel. O presidente afirmou que, caso o projeto de lei que fixa um teto para o ICMS seja aprovado, o governo federal deve propor que o ICMS sobre os combustíveis seja zerado.

Segundo o presidente, as medidas poderiam trazer efeitos imediatos para os consumidores.

Sobre a gasolina e o etanol, Bolsonaro afirmou que “no projeto de lei complementar cai para 17% o ICMS e o governo federal se dispõe a zerar o seu tributo federal: PIS/Cofins e Cide. Ou seja, a gasolina também deixaria de ter imposto federal”.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, complementou as falas de Bolsonaro. O ministro afirmou que o aumento dos preços dos combustíveis e da energia é um “golpe” e, segundo Guedes, “é absolutamente natural que a política reaja e queira proteger a população brasileira novamente agora de um inimigo diferente, que é o preço de energia e comida”.

PP News com sites