Local

Debate com médica-legista tem entrada gratuita e acontece no auditório do Parque de Exposição

No dia 21 de junho, às 19h, o Auditório de Eventos do Parque de Exposição Jayme Canet Júnior vai receber o evento “Queremos todas vivas”, dedicado ao combate do feminicídio, crime que mata 4 mulheres por dia no Brasil. Na programação, estão previstas rodas de conversa e a palestra “O feminicídio pelo olhar de uma médica-legista”, com a presença da médica do IML e Procuradora da Mulher de Curitiba, Dra. Maria Leticia Fagundes. 

Com 25 anos sendo médica-legista no Paraná, Maria Leticia atendeu inúmeras vítimas de violência doméstica e feminicídio durante sua atuação no Instituto Médico Legal (IML). 

 “São muitos anos orientando mulheres vítimas dos mais variados tipos de violência: de gênero, doméstica, estupro e, nos casos extremos, quando nao há mais o que fazer, feminicídio. Mantemos o trabalho de levar palestras ao maior número de pessoas e lugares para ampliar o debate sobre o assunto, evitando que mais vidas sejam perdidas”, afirma Maria Leticia, que é responsável pela programação. 

O evento é gratuito e em parceria com a Prefeitura de Francisco Beltrão.
A Secretaria da Mulher do PV/PR também apoiou a realização da palestra.

As vagas são limitadas e os interessados devem fazer sua inscrição antecipada pelo link https://www.sympla.com.br/queremos-todas-vivas—o-feminicidio-pelo-olhar-de-uma-medica-legista–edicao-francisco-beltrao__1593887

Para quem participar, haverá entrega de certificados digitais. 

Maria Leticia

Maria Leticia Fagundes é ginecologista, médica-legista e Procuradora da Mulher em Curitiba. Sua trajetória política foi inspirada em seu longo histórico de atendimento às vítimas de violência, de lesão corporal a feminicídio. Em seu 2o mandato, Maria Leticia foi considerada pelo ranking de Jornalistas Independentes do Jornal Plural a vereadora mais produtiva da capital, com projetos nas áreas da saúde, meio ambiente e defesa das mulheres. Na palestra “Queremos Todas Vivas: o feminicídio pelo olhar de uma médica-legista”, a médica compartilha o que aprendeu em mais de décadas no IML.