Geral
Foto: Josias Brizola de Campos – Real Color

A Aduana de Dionísio Cerqueira fechou o primeiro semestre de 2018, com movimento crescente em relação aos totais dos sete primeiros meses de 2017.

A corrente financeira (importações mais exportações) do primeiro semestre deste ano, foi  51% maior que a do primeiro semestre de 2017.

Os totais dos sete primeiros meses de 2018, referentes a cargas e a documentos de importação e exportação, também foram superiores aos totais do mesmo período de 2017.

As planilhas, divulgadas pela Receita Federal do Brasil contém os valores em dólar.

Para esta matéria, foi considerado o câmbio de segunda-feira passada, 13 de agosto, que era de R$ 3,924.

Corrente Financeira

O movimento, pela Área de Controle Integrado – ACI Cargas, a Aduana de Dionísio Cerqueira, no mês de julho deste ano, somou US$ 59.978.701,00 (cerca R$ 235 milhões).

Desse total, US$ 15.537.552,00 (cerca de R$ 60 milhões), foram de importações brasileiras, equivalendo a 25,904% do movimento do mês.

As exportações brasileiras de julho somaram US$ 44.441.149,00 (cerca de R$ 174 milhões)

Valor acumulado

O total da corrente financeira, acumulado nos sete primeiros meses de 2018, é de US$ 365.624.107,00 (cerca de R$ 953 milhões).

A se manter essa média, ao final de 2018, a corrente financeira da Aduana ficaria na casa dos US$ 627 milhões (cerca de 2 bilhões, quatrocentos e sessenta milhões de reais).

Esse total seria 33,451% maior que o movimento de 2017, que somou US$ 469.834.996,00 (cerca de 1 bilhão, oitocentos e quarenta milhões de reais).

O maior movimento financeiro da história da Aduana foi registrado no ano de 2012, e somou US$ 830.368.094,00 (cerca de 3 bilhões, duzentos e setenta milhões de reais).

Veículos

O total acumulado de cargas, nos sete, primeiros meses de 2018 é de 8.862 carretas.

O número é 24,309% maior que o total do mesmo período em 2017, que somou 7.129 caminhões.

Mantendo-se essa média, ao final de deste ano, 15.192 cargas teriam passado pela Aduana.

Esse número seria 10,166% superior ao total de 2017, que foi de 13.790 caminhões.

O maior volume de cargas da história da Aduana foi registrado no ano 2010, quando 22.412 carretas passaram pela Aduana de Dionísio Cerqueira.

Documentos

O total acumulado, nos sete primeiros meses de 2018, é de 8.717 documentos liberados.

O número é 20,184% maior que o total do mesmo período em 2017, que somou 7.253 documentos liberados.

Se o total de documentos de 2018 manter essa média, ao final do ano, 14.943 documentos seriam desembaraçados pela Receita Federal de Dionísio Cerqueira.

O total seria 8,071% maior que o total de 2017, quando 13.827 documentos foram desembaraçados pela Receita Federal, na Aduana cerqueirense.

O recorde de documentos de importação e exportação pela Aduana de Dionísio Cerqueira foi em 2011, quando a Receita Federal desembaraçou 20.605 documentos.

Fonte Luiz Carlos Gnoatto/Ascom Ascoagrin