Oeste
Imagem Catve

Estudantes de Palotina sofreram queimaduras causadas por desinfetante de uso veterinário – a popular creolina – durante a aplicação de um “trote”, prática esta proibida pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), na quarta-feira (30).

Conforme o que foi apurado pela reportagem do Portal Catve, os calouros estavam na região central da cidade pedindo dinheiro em semáforos, no que é chamado de “pedágio”. Na sequência, eles foram banhados com creolina, produto que em contato com a pele causa queimaduras.

Pelo menos 25 estudantes ficaram feridos e foram encaminhados ao Hospital Municipal de Palotina onde passariam por atendimento médico. A Polícia Civil deve instaurar inquérito para apurar quem foram os responsáveis pelo trote.

A direção da UFPR ainda não se pronunciou sobre o ocorrido. Contudo, de acordo com o regulamento do Coun (Conselho Universitário), a aplicação dos chamados trotes é proibida e os infratores devem ser submetidos às normas disciplinares do Regimento Geral da UFPR.

O conselho ressalta ainda que os calouros não são obrigados a participarem de qualquer tipo de atividade realizadas pelos veteranos. Em caso de ameaça ou constrangimento, denúncias podem ser feitas, de forma anônima, à coordenação dos cursos, à ouvidoria ou ao Programa de Repressão à Violência e à Discriminação da UFPR.