Esportes
Foto: José Delmo de Menezes Júnior

A diretoria do Marreco Futsal bem que tentou, mas não conseguiu reverter a situação do ala Richard, e o jogador não poderá mais vestir a camisa da equipe beltronense. Após receber proposta em julho para jogar no Azerbaijão, o ala fez as malas e rescindiu seu contrato com o Marreco, porém, a equipe que contrataria o jogador, desistiu do negócio e como a documentação necessária para oficializar toda essa transação demorou mais de sete dias para ser validada, a janela de transferências do futsal brasileiro fechou, e o Marreco não pôde mais inscrever Richard novamente na Liga Nacional e Série Ouro do Paranaense. O argumento do departamento jurídico do Marreco para tentar recuperar o jogador, é que ele ainda não tinha assinado nenhum contrato com a outra equipe, mas como a transferência já havia sido encaminhada, para a CBFS (Confederação Brasileira de Futsal), Richard perdeu o vínculo com o Marreco. Como não tem mais contrato com a equipe beltronense, Richard se despede de vez de Francisco Beltrão, como um dos destaques da equipe na temporada. A tendência agora é que o atleta acerte uma transferência para qualquer outra equipe europeia, já que o mercado por lá ainda está aberto e o jogador pode ser inscrito em qualquer equipe, desde que não seja do futsal brasileiro.

Sondagens a outros atletas

O Marreco segue sofrendo com a janela de transferências europeia, e depois de perder Éder, Renan Fuzo, Rafinha e Richard, outros atletas seguem sendo observados por equipes de toda a Europa. Depois de Sol Sales e Pedro Rei serem assediados pelo futsal italiano e espanhol, Bateria e Sinoê também teriam recebido propostas para deixar o Marreco. A diretoria do Marreco não garante a permanência de nenhum atleta, mas independente da saída de outros nomes, nenhum outro atleta pode ser inscrito para o restante da temporada, o que deixaria o elenco ainda mais reduzido para a reta final da Liga Nacional e do Paranaense.