Geral

A Brisanet Internet, operadora regional com sede em Pereiro (CE) e que leva internet de fibra óptica para mais de 200 mil assinantes para o interior de cinco estados do nordeste, é a empresa de telecomunicação que mais cresceu em 2020, segundo os dados divulgados pela Teleco. Segundo o levantamento, o ano terminou com um aumento de aproximadamente 80% no número de assinaturas e o plano para o próximo biênio é de ampliar ainda mais a cobertura. “O nosso grande objetivo é conseguir entregar a excelência dos nossos serviços desde cidades afastadas dos grandes centros urbanos até capitais por toda a região Nordeste”, comenta Jordão Estevam, sócio-diretor comercial do Grupo Brisanet.

E a Pesquisa de Satisfação e Qualidade, divulgada anualmente pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), deixou claro que esse projeto de expansão leva em consideração a qualidade do serviço entregue aos assinantes. Dos 5 estados que fazem parte da rede de cobertura da operadora, a Brisanet ficou em 1º lugar no Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e na Paraíba. Em Alagoas, a operadora não foi avaliada pela agência em 2020, uma vez que as operações da Brisanet no estado só começaram em 2021, mas já concorre com os 10 melhores planos de internet de Maceió.  

Essa liderança da Brisanet tem incomodado – e muito – algumas das gigantes das telecomunicações. No início de 2021, a Oi lançou uma série de comerciais em que alfinetava a operadora nordestina. Estrelados pelo youtuber piauiense Whindersson Nunes, os vídeos exploram de forma cômica o “cuidado” que os assinantes da internet residencial tinham que ter com “essa brisa”, alegando instabilidade de conexão como um dos argumentos.

A Vivo, operadora que atualmente lidera o ranking de 3 dos 9 estados do Nordeste, incluindo Alagoas, onde a Brisanet chegou recentemente, já se prepara para barrar o crescimento da concorrente. Em um evento online realizado no dia 20 de maio, o CEO da Vivo, Christian Gebara, afirmou que as grandes operadoras pretendem retomar a liderança do mercado de internet banda larga fixa no país. “Os pequenos provedores viram (na interiorização da fibra óptica) uma oportunidade para chegar em lugares que nós ainda não tínhamos chegado, mas agora esse jogo virou e vamos reagir a esse crescimento”, declarou Gebara.