Saúde
Diagnóstico da varíola do macaco é feito por meio da análise de amostras das lesões da pele Reprodução/Reuters

Os casos confirmados de varíola do macaco, ou varíola símia, já passam de duas centenas em mais de 20 países, juntamente com outras dezenas de suspeitas. A doença acendeu o sinal de alerta na OMS (Organização Mundial da Saúde) porque nunca havia aparecido nessa proporção fora da África, onde em muitos países é endêmica (constantemente registrada). 

O Brasil, todavia, ainda não tem protocolos definidos para testagem e isolamento de casos suspeitos que possam surgir por aqui, tampouco insumos necessários para disponibilizar testes, caso sejam necessários. 

Quando aconteciam casos fora do continente, davam-se a partir do contato com um animal silvestre após viagem aos lugares onde a doença está presente ou com animal silvestre tirado da natureza e levado para o contato humano.

No surto desta vez, que começou há cerca de um mês na Europa, a velocidade de transmissão é diferente, e o surgimento em lugares distantes intriga os pesquisadores.

Para ler a matéria completa acesse Notícias R7