Francisco Beltrão

Amsop defende projeto com controle de acesso e horários para a Estrada do Colono

Estrada teria conceito ecológico e aumentaria integração entre as regiões Oeste e Sudoeste paranaense. – Foto Divulgação

Da assessoria – A reabertura da Estrada do Colono voltou à pauta neste ano com a apresentação de um novo projeto de lei e criação de um movimento regional em defesa da proposta. A Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná) já se posicionou favorável à reabertura do caminho e está enviando ofícios à parlamentares e instituições, mas defendendo a criação de uma estrada parque.

Pelo projeto, o antigo trecho que corta o Parque Nacional do Iguaçu seria reaberto, mas também uma função de educação ambiental. Todo o trajeto de 17 km seria monitorado por câmeras, teria o acesso controlado, com a identificação de pessoas e veículos, e o horário limitado, somente durante o dia. “Temos uma questão de desenvolvimento da região de fronteira ligada à reabertura da estrada, mas num processo que também concilie a preservação ambiental e o cuidado com o parque, sua fauna e flora”, destaca o presidente da Amsop e prefeito de Saudade do Iguaçu, Mauro Cenci.

A Estrada do Colono liga os municípios de Capanema e Serranópolis do Iguaçu e seria uma alternativa de integração entre o Oeste e Sudoeste paranaense – o caminho está fechado há cerca de 20 anos. O projeto defendido pela Amsop também prevê que novas técnicas de pavimentação sem asfalto sejam utilizadas no caminho e que guaritas, pórticos e passagens em desnível sejam pensadas. O controle de velocidade e a utilização somente por veículos de pequeno porte também são preocupações da entidade.

A reabertura da estrada foi sinalizada pelo presidente Jair Bolsonaro, em maio, durante visita à Cascavel. No dia 15 de agosto está programada uma audiência pública em Capanema para debater o tema, num evento proposto pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

Compartilhe: