Emprego
“Ninguém que chega na Agência e sai de lá sem o mínimo de orientação ou ajuda”, diz Daniela. – Foto Darce Almeida

Da assessoria/Acefb – A jovem Daniela Brandielli Pes, captadora de vagas na Agência do Trabalhador de Francisco Beltrão, vinculada à secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Semdetec), representou Noely Thomé, diretora da agência beltronense no Café Acefb desta semana, na entidade empresarial. Daniela atualizou o cenário de vagas de emprego da Agência e as demais atividades realizadas ao longo do ano.

De janeiro a maio de 2022, foram visitadas pelos funcionários da Agência 353 empresas, 22.395 intermediações de mão de obra, 968 pessoas encaminhadas para o seguro-desemprego em Beltrão, mais 290 em outros municípios. Entre os serviços prestados pela Agência estão a intermediação da mão de obra, seguro-desemprego, emissão de Carteira de Trabalho Digital (desde setembro de 2019), pesquisa do histórico do trabalhador – PróMãe e Depen, captação de vagas de emprego e visitas às empresas.

“A Agência percebeu ainda a necessidade de buscar trabalhadores em outros locais. Foram então criadas as unidades Poupa Tempo na Cidade Norte e no Bairro São Miguel. E também dois pontos avançados em Eneas Marques e Salgado Filho”, disse Daniela.

Números que chamam a atenção

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, somente no primeiro trimestre de 2022, a população economicamente ativa de Francisco Beltrão era de 46.884 pessoas trabalhando. Já as vagas de emprego chegaram a 789, 5.068 candidatos e 784 pessoas colocadas no mercado.

Conforme o Ministério do Trabalho e Previdência, de janeiro a abril de 2022, no ranking nacional cinco cidades do Paraná se destacaram na geração de empregos formais, ocupando 1/3 do top 100 e metade do top 10.

• 5° lugar: Cascavel com 1.598 trabalhadores efetivados;

• 6° lugar Curitiba com 1.561 trabalhadores efetivados;

• 7° lugar Foz do Iguaçu com 1.381 trabalhadores efetivados;

• 8° lugar Ponta Grossa com 1.227 trabalhadores efetivados;

• 9° lugar com Francisco Beltrão com 1.220 trabalhadores efetivados.

“O Paraná se destacou como o que mais intermediou mão de obra via Agência do Trabalhador no Brasil, com 38.369 trabalhadores em empregos formais, mais que o dobro do segundo colocado no ranking nacional, o Ceará. E Francisco Beltrão vem se mantendo sempre entre os 10 municípios que geram empregos via Agência, ocupando em janeiro deste ano o 7° lugar com 194 colocados, fevereiro em 7° lugar com 255 colocados, março em 3° lugar com 355 colocados e abril em 2° lugar com 436 colocados”, explica Daniela.

Dia da empregabilidade

É um dia em que as vagas de emprego são destinadas à classe minoritária, por vezes alvo de preconceito e discriminação, visando assim fazer uma ação na qual a Agência busque vagas e conscientize empresas parceiras sobre as qualificações profissionais da pessoa e não a orientação sexual, de gênero, idade, raça, entre outros. As datas são:

– Dia LGBTI+ (17 de maio)

– Dia A (12 de agosto) Jovem Aprendiz

– Dia D (21 de setembro) Deficientes físicos e inabilitados do INSS

– Dia I (1º de outubro) Do Idoso

– Dia N (25 de novembro) Conscientização Negra

Outra ação da agência beltronense é a realização de um projeto, em parceria com a Semdetec e Poupa Tempo, que consiste em buscar contato com presidentes de associações de bairros para divulgar as oportunidades de emprego e realizar mutirões nos Centros Comunitários. Participam empresas, o CRAS e Criança Feliz, que também prestam apoio com a divulgação. “Com isso, estimulamos a contratação, aproximamos os trabalhadores e empresas e possibilitamos um maior número de colocações no mercado de trabalho”, destaca Daniela.

Imigrantes

Tarsizio Carlos Bonetti, presidente da Acefb, perguntou para Daniela se pessoas de outros países, como Haiti, Venezuela e Argentina, são atendidos na Agência. “Sim, nós damos esse suporte e as empresas não recusam os encaminhamentos que fazemos. Tem alguns casos específicos, por exemplo, quando não entendemos o idioma que elas falam. Na Cidade Norte tem o Iamadu, que veio da Guiné e faz esses atendimentos porque ele fala vários idiomas”. “Depois que a Agência começou a ganhar destaque nacional, as pessoas têm nos procurado muito. No mês passado, recebemos uma família inteira de Fortaleza. Eles vêm porque ouvem que a cidade tem se destacado na geração de empregos”, completa Daniela.

Daniela encerrou sua participação e comentou que metalurgia é a área com mais dificuldade em encontrar profissionais para fechar as vagas. “Soldadores, mecânicos, e também no setor de confecções [costureiras]. Por isso que visitamos as empresas para saber quais profissionais elas precisam. Se não forem qualificados, a Agência, em parceria com o Senai, disponibiliza de cursos de capacitação”.