Oeste
Foto: Portal O Novo Oeste

Nesta segunda-feira (20), por volta das 15h30, uma equipe da Polícia Militar de Cafelândia foi informada pelo COPOM de que teria uma situação de maus tratos a animais, sendo a solicitante uma senhora.

Já no local, a equipe entrou em contato com a senhora, a qual relatou que estaria em um estabelecimento em frente a referida residência e presenciou uma situação de maus tratos a animais, sendo que seria um menor de idade que havia ferido um cachorro com um golpe de faca.

Informou que se responsabilizaria em levar o animal para ser atendido por um veterinário, pois este estava sangrando muito. A solicitante entregou para a equipe uma folha A4 na qual o menor havia escrito a seguinte frase “Meus pais não estão em casa, foram à Cascavel. Perdão pelo incomodo”.

Foi entrado em contato com o menor de idade, o qual foi identificado (13 anos de idade, sem documento). Em conversa com o mesmo, este informou que estaria sozinho em casa, pois seus pais haviam ido até a cidade de Cascavel para consulta médica.

Que ao ficar sozinho, o mesmo informou que atraiu com alimentos, um cachorro de rua, já com a intenção de desferir golpes de faca no animal. Que previamente havia cavado um buraco nos fundos do quintal da residência para posteriormente enterrar o animal, sendo tal cova constatada pela equipe.

Indagado se já teria feito tal ato em outras oportunidades, informou que matou um rato queimado. O mesmo também informou que sente o desejo de também matar pessoas, inclusive seus genitores, pois sente episódios de raiva de pessoas que não sabe explicar o motivo.

Ao ser questionado sobre a faca utilizada para ferir o animal, este apontou que havia cravado a mesma em uma árvore aos fundos da residência, sendo esta localizada e posteriormente medida no DPM apontando 15 centímetros de lâmina e 27 centímetros de tamanho total.

Foi solicitado a presença do Conselho Tutelar, as quais se fizeram presente. Após, menor foi conduzido no banco traseiro da viatura e sem algemas, até o DPM para confecção de Boletim de Ocorrência. Em novo contato com a solicitante, esta informou que o animal não corre risco de morte, porém ficará internado após passar por cirurgia.

O Conselho Tutelar entrou em contato com os pais do menor, os quais informaram que demorariam algumas horas até retornar à cidade de Cafelândia, pois aguardariam uma consulta por encaixe, tendo indicado para ficar como responsável pelo menor, um senhor.

Na sequência o Conselho Tutelar liberou o menor para ficar sob responsabilidade do mesmo até a chegada dos genitores. Boletim foi encaminhado para Polícia Civil de Nova Aurora para procedimentos cabíveis.

Informações CGN