Francisco Beltrão

Em julgamento realizado no Tribunal do Júri da Comarca de Francisco Beltrão, nesta quinta-feira (07), o réu Eduval Machado de Siqueira, popular “Duva” acusado da morte de Vilmar Correia, foi condenado a uma pena de 27 anos e 05 meses e 11 dias de reclusão em regime inicialmente fechado.

O Julgamento iniciou às 09h e terminou às 20h35 quando foi proferido pela Juíza de Direito Drª Janaina Monique Zanelatto Albino a sentença final.

Atuou no Ministério Púbico o Promotor de Justiça Saulo Costa Fernandes de Negreiros e na defesa o advogado nomeado Vanilton Soares da Silva.

Após a sentença o réu foi encaminhado para a Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão para o início do cumprimento da condenação. O réu manifestou o desejo de recorrer da decisão judicial no Tribunal de Justiça

O crime

Os fatos tiveram início no dia 08 de maio de 2020, por volta de 21h30 na Linha Gaúcha, interior de Francisco Beltrão, onde após um desacerto por pagamento de um serviço, “Duva” teria atingido Vilmar com golpes de facão na cabeça, causando ferimentos graves. Vilmar foi socorrido e encaminhado a UPA e posteriormente ao Hospital São Francisco, onde ficou internado na UTI por 18 dias, passou por cirurgias e outros procedimentos. Ele recebeu alta no dia 04 de junho, foi encaminhado para casa, mas continuou com acompanhamento médico devido as sequelas dos ferimentos. No dia 13 de agosto de 2020 ele apresentou um episódio de dispneia intensa e evoluiu para óbito, tendo como causa da morte asfixia, conforme o Laudo de Exame de Necropsia, decorrente das agressões sofridas pelos golpes de facão. Devido a isso “Duva” foi denunciado por homicídio qualificado, com agravantes por motivo fútil, pois a vítima não quis lhe pagar os serviços adiantados que ele faria no dia seguinte e ainda por ter pego a vítima de surpresa, sem chance de defesa.