Segurança
Foto: SESP PR

Desde o início do Verão Paraná – Viva a Vida, na região Oeste do Estado, foram registrados 28 ataques, segundo o levantamento do 3º Comando Regional de Bombeiro Militar, que abrange 136 municípios da Costa Oeste. 

Nesta temporada, a maior incidência foi registrada na praia de Jacutinga, em Itaipulândia. No entanto, pode ocorrer em outras áreas, como na temporada anterior. O alerta do Corpo de Bombeiros é manter o cidadão seguro, principalmente as crianças, para que possam aproveitar a temporada de verão tranquilamente e sem incidentes.

Segundo o comandante do Verão Paraná – Viva a Vida pelo Corpo de Bombeiros da Costa Oeste, tenente Misael Duarte, o aumento do fluxo de pessoas nas praias de água doce da região e também o período de Piracema (temporada de reprodução dos peixes), que teve início em 1º de novembro e segue até 28 de fevereiro de 2022, foram os motivos desses incidentes, e o Corpo de Bombeiros, de forma intensiva, tem orientado os banhistas para evitar que sofram esse tipo de ataque.

O Corpo de Bombeiros da região, em parceria com a prefeitura de Itaipulândia, instalou redes de proteção para evitar que os ataques sejam mais frequentes. Por isso, de acordo com o tenente Misael Duarte, é importante que o cidadão esteja sempre na área demarcada pelos guardas vidas. 

“Recomendamos para os banhistas entrar na água sempre em frente ao posto do guarda-vidas do Corpo de Bombeiros. Além de ficar visível ao nosso olhar logo atrás tem um ambulatório, fruto de uma parceria com a prefeitura de Itaipulândia. O espaço é equipado e está disposto justamente para este tipo de atendimento, com enfermeiros que estão empregados para todo o período do Verão Paraná, preparados para essas eventualidades e outras ocorrências que possa acontecer na praia de Itaipulândia”, afirma.

O tenente também orienta, em caso de ataque de piranhas, quais ações devem ser realizadas após o incidente. “De pronto, recomenda-se que saia da água imediatamente, para que não sofra outros ataques, porque as piranhas são vorazes, atacam muito rapidamente e geralmente elas estão em grupo. Na sequência, o banhista deve ir em direção ao guarda-vidas, para que ele possa fazer o primeiro atendimento e encaminhar ao ambulatório”, diz.