Real Móveis

Nesta semana entramos no penúltimo mês de 2017 e no mundo do futsal o Marreco parece ter guardado o melhor deste ano justamente para o mês em que completa sua primeira década. No início do ano falava-se no maior investimento da história do clube, já programado anteriormente, para justamente sonhar alto e conquistar o inédito título estadual tão desejado. Porém, o Marreco não priorizou só o estadual, e muito menos só a Liga, e talvez por isso chegou tão bem nas duas competições - jogou com disciplina tática em todos os jogos dos playoffs e fez por merecer o bom momento que vive.

No domingo (5) as 14 horas no Arrudão, contra a Assoeva de Venâncio Aires (RS), o time beltronense encara mais uma vez o desafio de vencer e jogar a responsabilidade de vitória para os gaúchos, no jogo de volta na próxima semana. Jogar bem em casa deixou de ser um problema e vencer em casa significa que o time deu mais um passo além do que se esperava na temporada, jogando toda a responsabilidade para o adversário que também luta pelo título do estadual, mas que também aumentou suas pretensões na Liga Nacional. 

Com exceção do Joinville, é impossível apontar cegamente outro favorito ao título, e a própria equipe catarinense tem suas restrições quando fala-se em favoritismo. O Marreco não perdeu para nenhum dos três adversários nesta temporada, foram dois empates contra JEC e Assoeva, e vitórias inquestionáveis até com supremacia contra o Foz Cataratas. Vale lembrar que os resultados de empate foram obtidos em momentos onde a equipe ainda não havia engrenado e cometia muitos erros, bem diferente de agora que literalmente está voando baixo. 

Para o capitão Fabiano Assad o equilibrio nesta reta final coloca todas as equipes em condições de brigar pelo título. "Vamos respeitar o time da Assoeva, sabemos do equilibrio da Liga, mas também não vamos colocar limites para fazer o melhor para continuar fazendo história", comentou Assad. O pivô Barbosinha que já marcou 18 gols na temporada, também acredita que chegar a final é uma possibilidade clara. "A gente sabe que a casa vai estar cheia e a gente sempre sonha, respeitando a equipe adversária, mas a gente sabe que nossa equipe vem numa crescente e isso é importante pra nós", disse o camisa nove.

Neste sábado (4) as 21 horas o Foz Cataratas recebe o Joenville na outra chave da semi final, para o primeiro jogo do confronto que vale vaga na grande decisão da Liga Nacional. 

 



Lucas Maciel
04/11/2017



Assessoria - Adolfo Pegoraro