Real Móveis

Uma nova coletiva foi realizada na tarde desta terça-feira (24) para falar sobre o caso de uma criança que teria sido encontrada abandonada no Bairro Cascavel Velho, em Cascavel. O caso veio à tona ontem e hoje durante o dia foram várias diligências.

A delegada do Nucria confirmou que o caso não é mais tratado como abandono de incapaz. O entendimento é que o que ocorreu tráfico de pessoas, sendo que tudo indica que o menino foi de fato trazido do Paraguai. 

Uma outra menina de 9 anos, também paraguaia, estava na casa de Maria Conceição Queiroz, conhecida como Maria Paraguaia. A mulher que disse ter encontrado a criança na verdade é suspeita de trazer as crianças do país vizinho e buscar casais para adoções ilegais no Brasil.

O objetivo agora é encontrar as famílias destas crianças no país vizinho. 

Um casal que teria ficado por algum tempo com o menino paraguaio também foi ouvido e disse que não sabia que a situação era ilegal. Eles teriam repassado R$ 700 para a mulher e ela disse que o dinheiro seria para os trâmites legais. Outros valores seriam repassados na sequência. O casal disse que devolveu o menino quando percebeu que não havia documentação. Eles ficaram com o menino por cerca de 15 dias.

Outro item que será apurado é se há outras pessoas envolvidas no esquema. A delegada acredita que isso é provável. O marido de Maria ainda não foi ouvido. 

O caso passará a ser apurado pela Polícia Federal, por se tratar de tráfico internacional de pessoa. 

O Ministério Público afirma que a criança está bem. 

Informações  CGN



Solange Maciel
24/10/2017



Foto: Divulgação/Vara da Infância e Juventude