Real Móveis

A infestação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus, continua gerando preocupação em Francisco Beltrão. O setor de endemias da secretaria municipal de Saúde realizou mais um Levantamento Rápido do índice de Infestação (Lira) que apontou resultado médio de 2,7%. Houve bastante redução em relação ao levantamento anterior, que foi de 3,8%, mas em algumas regiões da cidade e situação é considerada preocupante.

Conforme a enfermeira Tania Lise, coordenadora de endemias da secretaria, os maiores problemas foram verificados no Centro e nos bairros Alvorada, Marrecas, Nossa Senhora Aparecida e Industrial. Nestes bairros foram encontrados criadouros em pratos de flor, piscinas, potes plásticos, pias de banheiros, pneus, tonéis e bromélias. "Estas são as áreas de maior risco em relação ao mosquito", alerta Tania.

Como medida preventiva, já foi intensificado o trabalho de fiscalização e de orientação nestes locais. "Somente com a colaboração da população teremos êxito para evitar que as pessoas contraiam estas doenças", alerta a enfermeira. Também lembra que nos primeiros três meses foram realizados alguns mutirões para a coleta de material que possa acumular água e outros serão promovidos nos locais de maior incidência de larvas.

Nenhum Caso Confirmado

Neste ano de 2017 nenhum caso de dengue, chikungunya e zika vírus foi confirmado em Francisco Beltrão. Tania informa que até o momento foram 97 notificações, sendo que 58 já estão descartadas e 39 aguardam o resultado de análise no Laboratório Central do Estado.

 



Solange Maciel/Assessoria
05/04/2017



Foto: Divulgação/Assessoria