Real Móveis

Publicado em 28/12/2016 – Solange Maciel | Assessoria

Nesta quinta-feira, dia 29, às 19h00, no plenário da Câmara de Vereadores de Francisco Beltrão, será realizada a última Sessão Solene do ano e da atual Legislatura para prestar homenagem para dois pioneiros do município. Será às 19h00, no plenário do Legislativo. Receberão o Título de Vulto Emérito os agricultores Dercide Godinho dos Santos, de 68 anos, através de proposição da vereadora Maria de Lourdes Pazzini (PMDB), e Hélio Fieira, de 77 anos, iniciativa do vereador Roberson Artifon Fiera (PT).

Godinho nasceu em Nova Concórdia, onde reside até hoje. Sua vida foi marcada pelo trabalho na agricultura e na construção civil, pela participação ativa na política e através de ações comunitárias. É casado desde 1969 com Marilene Joana dos Santos. O casal tem cinco filhos. Dercide foi o primeiro presidente do Grupo de Jovens Juventude Unida de Nova Concórdia (Junoc). Presidiu o Clube Ipiranga. Também foi presidente e secretário da capela. Presidiu a associação de moradores, a Associação de Pais e Mestres e o grupo da terceira idade.

Na vida religiosa foi mestre de cerimônia das missas crioulas, ministro de eucaristia e integrou a equipe litúrgica. Na política, lançou candidatura a vereador em 1982. Na oportunidade ficou suplente, mas foi nomeado Sub-Prefeito do Distrito de Nova Concórdia. Ficou um ano nesta função, até assumir uma cadeira no legislativo Municipal, onde permaneceu por cinco anos.  Em 1996 assumiu a função de diretor do Departamento de Obras, onde ficou até o ano de 2000. Na atual gestão integrou a equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, na função de chefe de divisão.

Helio Fieira, de 77 anos, é catarinense de Orleans. O homenageado é filho de Amélio e Francisca Citadin Fieira e irmão de Joana, Ivanir, Iracema, Lucia, Maria de Lourdes, Vitório e Santo. Até os 12 anos, morou com a família e ajudava o pai, que trabalhava nas minas de carvão. Em 1.951 mudou-se para a comunidade de Seção São Miguel, para morar com os avós. Depois foi para Seção Jacaré, na casa dos tios Danilo e Primitiva.

Seu principal objetivo era comprar uma área de terra e trazer prá cá os pais e irmãos. O sonho se realizou. Helio, com apenas 12 anos, comprou 25 alqueires, terra coberta de mata e pinheiros. Para tanto contou com o apoio do amigo da família, Batista Nese, que lhe emprestou o dinheiro da entrada, mil Réis, moeda da época. Os restantes 24 mil Réus foram parcelados em 25 anos. Ali se estabeleceu e passou a plantar milho e feijão e criar suínos, que eram levados para Clevelândia, para trocar por mercadorias. Após três anos, seus pais e irmãos se mudaram para Francisco Beltrão.

A diversão aos domingos era jogar futebol no campo que fez em sua propriedade. Em 1957, com 18 anos, Helio participou da Revolta dos Colonos e na linha de frente, enfrentando os jagunços das companhias que queriam desapropriar as terras. Seu pai Amélio queria voltar para Santa Catarina, mas Helio com sua coragem não permitiu e decidiu enfrentar e defender a posse de sua terra. A luta foi vencida pelos colonos, que puderam continuar em suas terras, legalizadas em 1961.

No mesmo ano Helio casou-se com Vivina Migliorini, já falecida, com quem teve seis filhos, Iraci (em memória), Claudinei, Ademar (em memória), Juceni, Sidney e Altair. Eles já lhe deram 12 netos. Sua esposa faleceu em 1998 aos 56 anos. Posteriormente casou-se com Ivete Migliorini, com quem tem o filho Gabriel. Os filhos foram crescendo e começaram a trabalhar na roça e a situação da família foi melhorando. O primeiro carro, um Jeep usado, foi comprado em 1971. Também conseguiu investir em equipamentos para a propriedade.

Helio comprou uma colheitadeira e por um período trabalhou no Mato Grosso, na colheita da soja. Também comprou um caminhão e por cinco anos viajou por todo o Brasil, transportando grãos. Daí resolveu voltar para a sua propriedade. O local onde mora passou a pertencer para a Linha São Roque. Dedicou boa parte de sua vida para ajudar a comunidade onde reside. Foi presidente da igreja por seis vezes. Ajudou a construir a nova capela e o novo centro comunitário. Por ser pioneiro e ter dado a sua contribuição para o nosso município, Helio Fieira será homenageado pelo Poder Legislativo com o Título de Vulto Emérito de Francisco Beltrão. 

 



28/12/2016