Publicado em 18/04/2016

Domingo, dia 17 de abril foi um dia histórico. Apesar das falas eloquentes de deputados e por vezes engraçadas, o país vivenciou um dia marcante. A população nas ruas defendendo suas posições, seja contra corrupção, seja a favor de princípios que acreditam, momentos como esse, tornam o povo mais politizado, pois as medidas dos governos estão impactando cada vez mais na vida dos cidadãos e tal interesse é benéfico, quando não acompanhado de ódio e total ignorância. 

A próxima etapa do processo é no senado. Entre os parlamentares, grande maioria já sinaliza continuidade do processo. Para a economia é ótimo, sinais de confiança começam a surgir e o ciclo de queda deve cessar, mesmo que por curto prazo.

Mas antes de nos animarmos com a trajetória econômica no decorrer do processo, é importante ficar de olho no que o sucessor, Michel Temer, pretende fazer. Uma das primeiras matérias que o mercado estará atendo é em relação aos nomes da nova equipe econômica. Quais foram as reais alianças criadas por Temer no processo de impeachment?

Se o vice presidente manter bases e estratégias adotadas pelo governo petista irá frustrar o mercado. Caso as alianças para composição de ministérios comprometerem o andamento das atividades econômicas e sociais, também poderá levar a situação calamitosa.

Outra pergunta que não quer calar é: Terão os peemedebistas apoio concreto do PSDB? Ou veremos divisão no congresso, impedindo a aprovação de medidas, assim como no governo Dilma.

Qualquer sinalização de mudança tem animado o mercado. Agora veremos a reação no fato. Irão as mudanças, os cortes e o equilíbrio fiscal acontecer? Os rumos que o vice-presidente tomar serão observados atentamente e ditarão a situação econômica no curto prazo.

Além de tudo isso um partido como PT na oposição costuma ser hostil, ainda mais com os movimentos de esquerda que o acompanham. Lembrando que nada está decidido e a presidente tem sua defesa, que como de costume não joga toalha facilmente.

Acompanhemos de perto os passos do Temer, dessa forma saberemos os rumos do mercado financeiro, ao menos no curto prazo.

Escrito por Professor Robson Faria - Mestre em Administração PUCPR/Especialista em Finanças UNIPAR